terça-feira, 6 de abril de 2010

Dias Melhores


Mais um ano escolar. Sala nova, colegas novos, professores novos. Incrível, mas eu não estava nem um pouco feliz com essa mudança, queria meus amigos antigos, minha sala antiga e todo o resto que ficou para trás.

Passados alguns dias, comecei a conhecer melhor as pessoas da minha sala, mas uma semana não é tempo suficiente para uma amizade com confiança, o meu problema era tempo. Eu precisava de mais tempo com aquelas pessoas, de mais conversa.

Entre todos os meus novos colegas, um me chamou atenção. Uma atenção diferente. Acredito que vocês entendam sobre o que estou falando, né? Então, guardei isso por uns dias, depois contei para algumas amigas, de outra turma. Acabaram descobrindo que ele também estava afim de mim, e disso começamos a conversar pelo MSN.

Na sala de aula apenas trocávamos olhares, e acreditem, eram poucos. Quando chegávamos em casa, a primeira coisa era entrar no MSN e conversar mais um pouco. Não sei o que tanto tínhamos para falar um para o outro. Sei que em uma de nossas conversas ele me chamou para sair à tarde. Sim, sair. Só nós dois. Um encontro. Marcamos.

E na escola era a mesma coisa, só olhares, mas nada. Nesse dia sairíamos, ninguém sabia de nada, nem minhas amigas mais próximas. O melhor é deixar acontecer e depois contar, nada precipitado, já bastava toda a minha ansiedade.

Era uma tarde chuvosa, mas a chuva não me impedia de sonhar e muito menos de realizar. Fomos em um lugar calmo, onde não chovia, uma lanchonete. Mal conversamos, éramos dois tímidos tentando achar palavras, mas acabávamos falando coisas não tão interessantes e riamos, com mais vergonha.

Depois de algum tempo acabamos ficando. Inexplicável é a sensação das gotas da chuva, perdidas, caindo em meus ombros e dos lábios quentes dele nos meus. Preciso dizer mais alguma coisa? Gestos dizem o que palavras não conseguem dizer.

Já se passava da hora de voltar para casa, mas nenhum de nós dois queria ir. Aqueles beijos e abraços. Eu nunca mais queria ir embora de lá, nunca mais. Mas infelizmente uma hora tivemos que nos despedir, e isso aconteceu na chuva. Alguns dizem que gotas são lágrimas do céu, já eu diria que são sinal de um recomeço de todo o ciclo. Aquele foi um dia novo, de uma vida nova de duas pessoas, eu sabia que o futuro me reservava dias melhores dali para frente.

Depois desse dia saímos mais algumas vezes, mas na escola eram apenas olhares de quem sabia que palavras não valem mais nada. Não para nós dois.


_______________________________________________


Quem não quer um amor as escondidas?

A dona desse conto quer continuar misteriosa. Ela sabe que sou uma das pessoas que mais torce pra que isso tudo continue dando certo. Sua história é linda. E agora virou um conto.


Conto Real.


4 comentários:

  1. Muitooooooo bom esse, realmente escondidinho é mais gostosooooooo.

    Vou postar um pedacinho desse conto no twitter.

    Bjis, LuuH.

    ResponderExcluir
  2. Lindo *-* Amor escondido é o melhor hahaha

    ResponderExcluir
  3. dona do conto rs8 de abril de 2010 13:39

    é incrivel, toda vez que eu leio meus olhos enxem de lagrimas, você disse que é minha historia, minha realidade naty, pode até ser, mas ver tudo assim escrito tão lindamente me faz sonhar, me faz ficar mais feliz, não tem presente mais lindo que eu poderia receber, eu vou guardar pra sempre meu conto escrito com suas palavras, amo você naty s2

    ResponderExcluir